Noticias

Pausa para um assunto sério!

Nada melhor do que ter tempo para o que é gostoso na vida, como lazer, diversão, viajar, ler um livro num cantinho aconchegante de casa, andar de bicicleta e outros programas, mas há momentos em que é necessário reservar um tempo para assuntos sérios. E o nosso convite de hoje é para uma reflexão importante: os perigos e avanço da dengue no país. Para driblar o aedes aegypti e garantir as pausas tão esperadas como um café sem preocupação, fique atento às orientações dos serviços de saúde e dê espaço na sua rotina para a prática de dicas simples, mas que podem fazer toda a diferença quando o assunto é o seu bem-estar! Vamos lá?
 
Ação essencial: Prevenção! 
Assim como os cafezais precisam estar sempre protegidos dos ataques de pragas, nossa saúde precisa estar resguardada do ataque do aedes. Cerca de 80% dos criadouros do mosquito são encontrados dentro de casa. Isso mesmo! É preciso triplicar a atenção com água parada em vasos de plantas, pneus, latas e garrafas vazias, brinquedos expostos à chuva e piscinas. Areia nos suportes de vasos, borra de café nas plantas, cobertura dos materiais que podem acumular água são ações simples, mas eficazes. Cuidado também com o descarte de copos plásticos e tampas de refrigerantes.

Outros cuidados importantes são manter lixeiras fechadas, tampar e colocar sabão nos ralos internos e externos, verificar calhas, limpar regularmente a caixa d’água regularmente e o bebedouro de animais. Essa atenção precisa ser constante, pois como todo dia é dia de café, todo dia é útil para o aedes aegypti.

O uso de repelentes é indispensável, principalmente durante o dia, período em que o mosquito é mais ativo. E por falar nessa preferência solar do inseto, em casas onde há pessoas que dormem durante o dia (bebê, acamado, trabalhador noturno), vale investir em mosquiteiros nas janelas dos quartos e no berço.

E, enquanto muita gente é apaixonada por aquele cheirinho de café fresco no ar, o aedes foge de aromas como de hortelã, alecrim, manjericão, alfazema, lavanda, tomilho, sálvia, capim-limão e outros indicados por especialistas no assunto. Vale perfumar a casa ou ambientes de trabalho com vasos destas plantas citadas ou adotar alguns truques como recipientes com álcool e cravo no ambiente, sprays de citronela e outros, que podem ser um reforço para bater com a porta na cara do mosquito!
 
Foi contaminado? Foco na hidratação! 
Como ainda não há medicamento específico para a dengue, o tratamento da doença envolve atenção total na hidratação, repouso e alguns analgésicos, respeitando as contra-indicações. A primeira coisa a fazer ao apresentar sintomas é procurar ajuda médica. E da mesma forma que você espanta o pernilongo, dê aquele xô daqui para a automedicação porque alguns remédios e substâncias podem agravar o quadro e até levar à morte por conta de hemorragias.

Como auxílio ao protocolo médico, a natureza se coloca nessa batalha oferecendo algumas opções de bebidas curativas - e sabor - para contribuir com a recuperação do paciente. A primeira é a água de coco, aliada na hidratação. O consumo é indicado para até três copos diários, com ressalva apenas a pessoas com problemas renais. E, claro, o melhor é a versão natural. Não gosta de água de coco? Aposte no soro caseiro (1 colher de sopa de açúcar, 1 colher de café de sal e 1 litro de água filtrada e fervida).

Outra complementação ao tratamento médico são os chás e suas milenares propriedades de bem-estar. No caso da dengue, a camomila, hortelã, capim santo e erva-de-são-joão são protagonistas no alívio de dores musculares, febre, náuseas e dor de cabeça. Bora ferver água porque essas plantas têm funções analgésica, antiespasmódica, digestiva anti-inflamatória.

Por outro lado, chás de gengibre, ginseng, ginko biloba, unha-de-gato, vimeiro, salgueiro branco e boldo-do-chile devem ser evitados em caso de dengue porque interferem na coagulação do sangue e podem aumentar o risco de sangramentos. Grávidas e lactantes não devem tomar a bebida com hortelã.

Alerta final!
De acordo o Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde, o Brasil ultrapassou a marca de 3 milhões de casos de dengue em 2024, com quase 1.400 mortes. Somente no Estado de São Paulo, são 600 mil pessoas doentes e 300 óbitos. 

Viu só? Então, não perca o foco no combate ao aedes aegypti e aproveite suas pausas para aproveitar o melhor da vida e livre da doença!

Publicado em: 14/05/2024 por Café UTAM S.A.

Ultimas Notícias